Rio Grande do Norte, quarta-feira, 16 de abril de 2014

Carta Potiguar - uma alternativa crítica

publicado em 24 de abril de 2012

Dos Sonhos do Corpo à Expressão da Alma

postado por Weynna Doria

Imagem: reprodução

Enquanto assistimos corpos se contorcendo num espetáculo de dança contemporânea, sem que seja possível raciocinar sobre o quão misteriosa é essa língua que fala o corpo. Surge o pensamento inquietante de que se o sonho é a expressão da alma, a dança é o sonho do corpo. E é sobre esses sonhos do corpo em movimento que o documentário Sonhos de Dança (2010) vêm tratar.

“Sonhos em movimento”, nome no Brasil, é um testemunho do processo de montagem de Kontakthof, um dos mais aclamados espetáculos de Pina Bausch. Com suas câmeras, Anne Linsel e Rainer Hoffmann nos fazem testemunhar o processo de amadurecimento de jovens que nunca haviam tido contato com dança. O resultado desse testemunho é uma verdadeira aproximação da grandiosidade do trabalho desenvolvido por Pina.

Kontakthof que significa lugar de afetos, foi criado por Pina em 1978, a história se passa num salão de baile, onde homens e mulheres se encontram para seduzir, dançar e se encontrar. Em 1999, ela retomou essa obra, pela primeira vez, com um grupo de amadores. Essa versão ficou conhecida como: “Kontakthof com senhores e senhoras de mais de 65 anos”. A terceira versão foi Kontakthof com adolescentes, esse terceiro se tornou material para “Sonhos em Movimento”. No geral, foram 46 alunos de diferentes escolas, os ensaios tiveram duração de um ano, os adolescentes realizaram a mesma coreografia, com os mesmos figurinos e cenários da primeira versão, de 30 anos antes, suas instrutoras foram bailarinas do primeiro espetáculo e durante o trabalho passam cuidadosamente toda segurança e experiência adquirida no contato com a obra de Pina Bausch.

É explorando a subjetividade, entre os conflitos vividos na adolescência que se constitui a essência dessa versão do espetáculo. Sentimentos e relações comuns entre homem e mulher são nutridos em busca de autenticidade às atuações ideais, segundo modelo bauschniano. A partir de depoimentos dos adolescentes e constantes ensaios, vai ficando claro a proposta do documentário de envolver-nos do início ao fim da montagem.

Ver a arte se construindo é uma ótima experiência, ver como é complexo e o quanto é minucioso o trabalho de criação de um grande espetáculo de dança. Ver a evolução dos bailarinos e seus sonhos transformados em movimento dá ao espectador a oportunidade de vivenciar uma grande obra e quase sentir frio na barriga no dia da estreia. Sem dúvida, uma homenagem fiel a Pina Bausch.

O filme “Sonhos de Dança” será exibido no evento “Dancem ou estamos perdidos: Uma homenagem a Pina Bausch”, durante a programação dedicada à dança contemporânea promovida pelo projeto de extensão Os Fazedores em parceria com o Departamento de Artes. Confira programação completa no blog: http://osfazedores.blogspot.com.br/

Melancolia
Artes

Melancolia: O Mundo Acaba em Nós

pedregal002
Artes

Metal Open Air - Vergonha e preconceito