Rio Grande do Norte, segunda-feira, 01 de maio de 2017

Carta Potiguar - uma alternativa crítica

publicado em 21 de fevereiro de 2017

Adicione feminismo na sua purpurina

postado por Andressa Morais

Estamos na semana do carnaval e por aqui a ansiedade para o início das festividades é imensa. Todavia, nenhum confete, serpentina, purpurina e paetê brilha tão bem se não for na companhia de boas práticas e respeito mútuo na hora de jogar os corpos na avenida. Por isso, em Natal, nós, mulheres, estamos nos reunindo para construir atividades coletivas que envolvam trazer outras mulheres em sua diversidade para fazer acontecer e comunicar à esfera pública potiguar que nós estamos em luta por nossos direitos, por nosso respeito e por nossa liberdade de autodeterminação.

Nesse carnaval, aproveitamos a folia para com irreverência, parceria e muita purpurina chamar atenção das foliãs e dos foliões para questões sérias sobre preconceitos de gênero, raça, classe e orientação sexual. Queremos sim um carnaval multicultural, criativo e inclusivo; por isso, manas, vamos chegar juntas umas das outras. Conversem, compartilhem boas práticas e informem às autoridades sobre qualquer situação de opressão durante a festa de momo.  Além de irmos para a rua brincar, curtir e se empoderar do espaço público, é sempre bom lembrar que podemos fazer disso um potencial de informação, educação e colaboração entre pares. Carnaval é festa e diversão! Não queremos racismo, não precisamos de assédio, muito menos homofobia.

Então, a mensagem é ocupar a rua como espaço público que pertence a todas e todos nós, pois sabemos que “Lugar de mulher é onde ela quiser”!!! E, para colar com as manas que estão distribuindo informação, apoio e beleza, se liga na nossa concentração e nos bloquinhos que estão aderindo a ideia de fazer um carnaval feminista em Natal.

 

Quinta-Feira (23/02/2017)

Bloco Folia de Rua 

Concentração  às 15h/ IFRN –  Cidade Alta

 

Sábado (25/02/2017)

Bloco Cuscuz Alegado

Concentração às 16h /Praça do Gringos – Ponta Negra

 

Domingo (26/02/2017)

Bloco Sem Preconceito

Concentração às 15h/ Praça do Cruzeiro – Redinha

 

 

Andressa Morais

Antropóloga Pesquisadora do Laboratório de Estudos da Cidadania, Administração de Conflitos e Justiça (CAJU/UnB). Pesquisadora do Núcleo de Estudos Críticos em Subjetividades e Direitos Humanos (NUECS-DH/UFRN).

Comments are closed.

Sociedade e Cultura

Por que o mundo tem que acabar?

Sociedade e Cultura

História do beijo do Kama Sutra a Hollywood