Rio Grande do Norte, sábado, 19 de agosto de 2017

Carta Potiguar - uma alternativa crítica

publicado em 16 de maio de 2017

CMN debate parto humanizado em audiência pública

postado por Carta Potiguar

Nessa quarta-feira, 17 de maio, às 9h, vai acontecer no plenário da Câmara Municipal uma audiência pública sobre a humanização do parto e nascimento em Natal. O evento é proposição da vereadora Natália Bonavides (PT) e contará com a presença dos movimentos sociais que lutam pela humanização do atendimento, profissionais da saúde, população em geral, além das vereadoras e vereadoras da Casa.

O parto humanizado quando atende a três pilares: assistência baseada em evidências científicas atualizadas; protagonismo da mulher e concepção do parto como um evento não apenas fisiológico, mas também social, espiritual e cultural. (Foto: Reprodução)

A vereadora Natália Bonavides vai presidir os trabalhos. Entre as convidadas para compor a mesa estão: Maria do Carmo Lopes de Melo (professora aposentada da UFRN, médica obstetra e representante do Comitê de Luta pela Redução da Mortalidade Materna), Nicolle Passos (Associação Potiguar de Doulas do RN), Andressa Maia (Movimento pela Humanização do Parto e Nascimento em Natal), Maria do Rosário Bezerra (gestora do SUS), Clarissa de Leon (Associação Brasileira de Obstetrízes e Enfermeiras obstetras) e o Reginaldo Antonio de Oliveira Freitas Junior (Obstetra e Diretor de Ensino e Pesquisa do Instituto Santos Dumont  e do Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (ISD). Professor Associado III do Departamento de Tocoginecologia da UFRN).

A psicóloga Andressa Oliveira passou pela experiência do chamado parto domiciliar e será uma das componentes da mesa. (Foto: Cedida)

Natália é autora do Projeto de Lei 30/2017, que já tramita na Casa, desenvolvido em parceria com Movimento pela Humanização do Parto e Nascimento em Natal. O projeto de lei propõe que as recomendações científicas atualizadas e as diretrizes de órgãos nacionais e internacionais ligados à área da saúde sejam colocadas em prática no âmbito municipal. A aprovação do PL poderá trazer impacto positivo na redução de intervenções desnecessárias ao parto e das consequentes complicações, além da diminuição dos casos de violência obstétrica e dos índices de mortalidade neonatal.

O parto pode ser considerado humanizado quando atende a três pilares: assistência baseada em evidências científicas atualizadas; protagonismo da mulher de forma a garantir que suas escolhas sejam respeitadas; e concepção do parto como um evento não apenas fisiológico, mas também social, espiritual e cultural, portanto, merecedor de uma assistência multiprofissional.

A audiência pública é uma das oportunidades para que a sociedade civil, a classe trabalhadora da área da saúde e o poder legislativo possam debater a temática.

SERVIÇO
Audiência Pública para debater o parto e o nascimento humanizado em Natal
Local: Plenário da Câmara Municipal de Natal
Endereço: Rua Jundiaí, 546 – Tirol
Data: 17 de maio de 2017
Horário: 9h

Comments are closed.

Artes

Caio Padilha, carioca, radicado em Natal, faz show antes de temporada em São Paulo com o show “Arrivals”