Rio Grande do Norte, segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Carta Potiguar - uma alternativa crítica

publicado em 15 de novembro de 2017

POLÍCIA NO CAMPUS DA UFRN: QUEM É RESPONSÁVEL?

postado por Carta Potiguar

Ontem, dia 14, por volta das 19h, em frente ao prédio da Biblioteca Central da UFRN, duas viaturas da polícia militar do RN e uma dezena de policiais, na calçada do prédio, deixavam aqueles que por ali passavam se interrogando do fato. Que teria ocorrido? Um assalto?

Se não é do conhecimento de todos, ao menos de grande parte é conhecida a proibição legal – e em todos os países onde não vigoram ditaduras é assim –  que impede a presença de forças policias nos campi das universidades públicas. As polícias (federal, civil ou militar) somente podem se fazer presentes nos casos em que forem oficialmente convocadas pelos reitores e mediante justificativa legal. Por essa razão, quem estava no campus central da UFRN ontem à noite e pôde ver a cena indagou-se sobre o fato.

Pois bem, a polícia militar estava lá destacada para “assegurar a exibição do filme Jardim das Aflições”, que versa sobre o pensamento e a pessoa do assim chamado “filósofo” Olavo de Carvalho, besta fera do pensamento de direita hoje no Brasil. A exibição do filme fazia parte de programação organizada pelo Instituto Felipe Camarão, entidade da direita política de Natal, que decidiu provocar a UFRN com outras iniciativas, tal como prever a palestra sobre “Cura gay”, com Mariza Lobo, para o dia 7 de dezembro. Iniciativa que mereceu o repúdio de 34 entidades científicas e acadêmicas do país, que subscreveram Nota de Repúdio publicada também na Carta Potiguar.

            O que todos nós que fazemos o RN e a UFRN queremos saber é: quem tem a responsabilidade pela presença das viaturas e policias ontem no campus central? Viaturas não chegam à parte alguma sozinhas. Se ali estavam, tiveram um comando. Qual foi esse comando? O comando da polícia militar do RN? Com a palavra o coronel Osmar Oliveira e também com a palavra o governador Robson Faria!

A lenda urbana já começou a produzir suas narrativas. Estão dizendo que a decisão foi de um agente da polícia federal que seria apoiador de Bolsonaro e que estava entre os presentes, como interessado na exibição do filme. Teria sido ele quem teria chamado a polícia militar. Difícil imaginar que um agente da PF tenha tamanha ousadia, sabendo da responsabilidade que recairia/recairá sobre seus ombros. Com a palavra a Superintendência da Polícia Federal no RN!

Mas, se tudo ocorreu como contam os boatos, alguns que já se apressam em dizer que se trata do “Estado de Exceção” em atuação, o que resta a provar, temos ainda que entender qual o conhecimento da reitora Angela Paiva Cruz sobre o caso. A reitora consentiu a presença da PM? Tudo foi feito sem seu conhecimento e autorização? Com a palavra a reitora da UFRN!

O que não pode acontecer é esse episódio (e que seja apenas um episódio isolado!) ficar sem o necessário esclarecimento. Hoje, é feriado da proclamação da República. É dia propício para os agentes públicos, com funções de comando, esclarecerem se estamos mesmo numa República, na qual vigoram leis que asseguram a legalidade das ações e estas mesmas leis preveem punições para quem as desobedecem, ou se estamos é num país no qual molecotes de direita são capazes de desafiarem a reitora de uma universidade pública e ficar por isso mesmo!

A ocasião de flagrante provocação da direita de Natal à UFRN exige que a reitora Angela Paiva Cruz também suspenda a palestra sobre a “Cura gay”, prevista acontecer no campus central. Um outro exemplo de afronta e desrespeito intolerável à Universidade, ao pensamento científico e aos direitos de milhares de gays, lésbicas e transgêneros que não esperam ver a UFRN consentido discursos de rebaixamento da dignidade e do reconhecimento de muitos daqueles que ali estudam, trabalham, ensinam, pesquisam, contribuindo com a educação e a ciência no RN e no país.

7 Responses

  1. Roberto disse:

    A UFRN por acaso tem dono

  2. Roberto disse:

    Todos têm o direito de se manifestar

  3. Diogo disse:

    Algumas observações acerca desta “matéria” disfarçada de assessoria de imprensa da esquerda:
    1) leiam! leiam! leiam! A PM pode, SIM, entrar no campi, uma vez que a UFRN é um corredor de circulação aberta ao público em geral.
    2) A PM é polícia administrativa, ostensiva. Tá na Constituição Federal! Mais uma vez, reforço, eles podem (e devem) estar lá. Não precisa de autorização de reitoria nenhuma!
    3) antes que vcs falem: a segurança patrimonial que existe na UFRN não tem preparo e nem responsabilidade com a segurança pública, mas tão somente com a integridade física, do patrimônio e da coisa pública. Leiam! Segurança Pública é coisa para os órgãos de segurança pública elencados no Art 142, da nossa querida Carta Magna.
    4) qualquer cidadão pode pedir a presença da PM em locais públicos para salvaguardar a sua segurança. Informem-se!
    5) o evento foi um sucesso! Foram necessárias 3 sessões e ainda teve gente que ficou de fora.
    6) quem é contra a PM é a favor de quem? Dos bandidos? Tem medo da PM? Porque? Estranho isso….
    7) me parece que os vermelhos amarelaram. Onde está a iniciativa de não permitir a exibição do filme? A galera da UFPE tem meu respeito. Apesar de terem apanhado, foram lá e tentaram evitar a exibição. A esquerda da UFRN é muitíssimo fraca!
    8) Chorem! Leiam! Informem-se! O Mito vem aí!

  4. César disse:

    Nem sabia que ia ter a exibição desse filme! kkkkkkkkkk

  5. Moacir disse:

    Caramba!!! E são publicações desse tipo que taxam a GRANDE IMPRENSA de PIG, de imparciais, de tendenciosos.
    Se uma publicação assim não é tendenciosa e parcial, então podem parar com o mimimi contra a grande imprensa.
    Os esquerdopatas se consideram dono dos espaços públicos, sejam eles alunos, professores ou mestres.
    A Magnânima Reitora pode autorizar acampamento na Reitoria e proporcionar um circo de horrores lá, que não passa de liberdade de expressão.
    Por favor, tenham vergonha na cara.

  6. Alexandre disse:

    Respondendo a esse lixo de disfarce de blog, na verdade uma assessoria de imprensa da esquerda, como todos os CA e DCE universitários:
    Os bandidos e meliantes travestidos de estudantes ameaçaram e colocaram em risco SIM os espectadores do filme.
    PS: A PM nao precisa de autorização pra entrar no Campus. Ela vai, e deve IR, aonde o cidadão de bem estiver, zelando por sua segurança ostensiva.

  7. Bruno Alysson disse:

    Tremendo idiota , soldadinho de ideologia esse pseudojornalista. Fazendo jus a essa sórdida e infrutífera geração acadêmica . Faz pena. O que esse povo gosta é de anarquia e libertinagem , por isso o incomodo com a polícia. Óbvio.

Leave a Reply

Editorial

“CURA GAY” NA UFRN? NOSSO REPÚDIO!