Rio Grande do Norte, domingo, 25 de junho de 2017

Carta Potiguar - uma alternativa crítica

publicado em 8 de outubro de 2013

“Greve de que?” Resposta ao amigo Cliente

 GREVE DE QUE? Ganha mais que eu, trabalha das 9 às 16, não trabalha sab nem dom, não se suja, não sua, não cansa, só anda arrumado/a. QUAL É?

"Greve de que?"

“Greve de que?”

Caro amigo cliente,

Estou em um momento de reflexão e cheguei a mesma conclusão que o senhor:”Greve de que?”

Realmente trabalho engomado e bem vestido para passar credibilidade e respeito ao senhor, pois trabalho movimentando e te orientando o que fazer com seu dinheiro, aquele que você ganha de forma difícil e ralada todo mês, assim como quebro minha cabeça pra te oferecer o melhor investimento quando você tem dinheiro sobrando ou na melhor forma de te ajudar com linhas de créditos especiais aplicadas somente a você, quando precisa de dinheiro. Realmente “Greve de que?”

Trabalho das 9h às 16h atendendo o público, ouvindo desaforo, elogios e histórias de vida, dando o meu melhor para fazer com que essas histórias tenham finais felizes. Trabalho me colocando no seu lugar quando você chega aqui e quer realizar o sonho da sua casa própria, do seu carro novo, do investimento de risco para construir uma sede pra sua empresa ou até mesmo da coragem empreendedora de sair de seu emprego e te ajudar a abrir um negócio próprio. Realmente “greve de que?”

Trabalho 12h por dia pensando em você e para você. Quando acaba o atendimento, tenho que contar o seu dinheiro e deixá-lo em um local seguro, para que aqueles que levam a vida fácil não tenham capacidade de roubá-lo. Temos uma equipe de segurança que trabalha 24h por dia para manter o seu dinheiro seguro e bem aplicado, para que no momento que o senhor precisar dele, ele esteja em suas mãos. Além disso, tenho que bater cabeça nos sistemas para que a sua linha de crédito seja aprovada, nossos gerentes assinam o risco pra tornar a sua vida melhor, e dessas 12h que trabalho, sou obrigado a trabalhar 8h com salário base e só recebo no máximo mais 2h extras, ou seja, trabalho 2h por dia inteiramente de graça pra você!

“Greve de que?” Estamos lutando por um salário justo e trabalho de forma legal e humana, temos que bater metas ridiculamente absurdas, para fazer os bancos lucrarem. Mas … “greve de que?”, no dia 21 de Junho lutamos lado a lado para conquistar a diferença de 0,20 centavos em uma passagem de ônibus, e veja só, eu nem ando de ônibus, mas achei uma injustiça o que fizeram, lutei ao seu lado não pelos 0,20 centavos, lutei pelo ideal de um país mais justo e com políticos honestos.

É isso aí… Você parou o seu trabalho eu parei o meu, e lutamos juntos por nós. “Greve de que?” se quando lutamos não temos o apoio da população… quando é da revolta deles que mais precisamos para mudar a nossa situação, porque quando estamos em greve, estamos indiretamente lutando por você, sr. Cliente, tentando retirar essas metas abusivas e dignificar o uso racional do seu dinheiro e tentando diminuir o abuso do uso de minhas horas de trabalho.

“Greve de que?” Eu almoço em 15 minutos, pra não deixar o atendimento parar; sou obrigado a atender todos os clientes sem fazer com que esperem 15 min numa fila, mas não colocam mais colegas ao meu lado pra me ajudar, o índice de desemprego só diminui, a quantidade de pessoas nos bancos só aumenta, mas eu que preciso de mais um colega pra me ajudar com a demanda, sou forçado a atende-los desumanamente. E tem mais! Se eu errar sou penalizado, aqueles R$100 que sobrou no seu troco da última vez que o senhor veio no caixa, saiu do meu bolso, porque meu caixa não bateu!

Realmente fazer “greve de que?”, passo metade do meu dia dedicado a você e nem reconhecimento desse trabalho tenho. Meu médico diz pra eu dormir 8h por dia, restam apenas 4h, dessas 1h para eu ir trabalhar e 1h pra voltar pra casa; volto, chego em casa com 2h livres pra me dedicar aos meus filhos, esposa, jantar, cuidar da minha saúde, lazer e prazer…

Ainda bem que não trabalho no fim de semana, realmente ando tratando a minha saúde, fui ao psiquiatra e ele me passou um remédio pra dormir, porque não conseguia nem chegar perto das 4h de sono por noite, ele disse que era stress. Mas meus amigos me dizem que eu não preciso ficar estressado, me chamam de “vida boa”, porque trabalho só durante a semana.

“Greve de que?” passei 6 anos na faculdade de engenharia, me formei e virei bancário, não exerço a minha profissão há 10 anos, tempo que estou trabalhando no banco, já não sei mas nem calcular uma derivada. João, Engenheiro Químico que era meu colega, não agüentou a pressão e pediu demissão. Hoje está querendo saber o que significa H2O, porque ele não lembrava mais nada da sua profissão, o que ele sabe mesmo é como fazer seu dinheiro render 2,5% após um mês de aplicação.

Hoje minha profissão é bancário, é só o que sei fazer, cuidar do seu dinheiro sr. Cliente, mas fazem 10 anos que entro em greve sempre nesse período e nunca sou ouvido. Um amigo sábio uma vez me disse que “Se você faz as mesmas coisas não pode esperar resultados diferentes”, não sei o que fazer realmente, pois faz dez anos que faço greve e nunca me ajudam, só ganho a raiva e desprezo daqueles que deveriam me entender e me ajudar.

Não sei o que fazer, vou seguir o conselho do meu amigo, vou mudar pra ver se o resultado muda.

“Greve de que?” Realmente eu não deveria fazer greve mesmo não, vou pedir demissão! E tentar novamente desenvolver meu verdadeiro ofício. Quem sabe começo a escrever crônicas sobre os bancários e como eles trabalham, vai que isso pode ajudar a mudar a situação deles. Obrigado Sr. Cliente, depois desse texto você abriu a minha mente, espero que você tenha aberto a sua e lute ao lado de meus colegas para melhorarmos as nossas vidas. A minha, de meus colegas e de vocês, nossos clientes.

 

Comments are closed.

Sociedade e Cultura

A bomba semiótica das pegadinhas do "Fantástico" e "CQC"

Sociedade e Cultura

Desplugados por opção: os novos exóticos na pós-modernidade líquida